Sobre a Cia Eco | Equipe | Responsablidade Social | Contato 55 11 5571.2525
Pacotes para Machu Picchu

Cuzco e Machu Picchu

O Peru foi o berço de uma das civilizações mais interessantes e intrigantes da história: os incas. Atualmente, as marcas desse incrível povo estão espalhadas por todo o país. 

A uma hora de avião de Lima, chega-se a Cuzco - uma cidade aconchegante que preserva construções incaicas e arquitetura colonial em templos e palácios históricos espalhados pela cidade. Antiga capital administrativa, militar e religiosa do império inca, a cidade fica a 3.360 metros do nível do mar e exige de seus visitantes alguns cuidados como andar devagar, comer pouco e evitar grandes esforços físicos nas primeiras horas de estada. Para amenizar os possíveis efeitos da altitude, os simpáticos anfitriões dãos as boas vindas com chá de coca e músicas típicas.

A cerca de 15 km ao norte de Cuzco e a caminho de Machu Picchu está o Vale Sagrado, que abriga diversos sítios arqueológicos e povoados que parecem viver ainda no tempo da colônia. Face à fertilidade de suas terras, os incas desenvolveram centros de agricultura por toda sua extensão. 

Machu Picchu está encravada na área mais inacessível dos Andes, escondida dentro da floresta tropical a 2.400 metros de altitude. Com localização geográfica privilegiada, combina montanhas sagradas, água corrente e um alinhamento celestial quase perfeito. Patrimônio cultural da humanidade, a cidade perdida foi toda construída com pedras unidas sem ajuda de cimento ou barro. 

A disposição dos prédios, a excelência do trabalho e o grande número de terraços para agricultura são impressionantes. No meio das montanhas, os templos, casas e cemitérios estão distribuídos de maneira organizada, abrindo ruas e escadarias. Segundo a histórica inca, tudo planejado para a passagem do deus sol. 

É possível chegar à cidade sagrada de trem, mas a opção imperdível para quem gosta de aventura é percorrer aTrilha Inca e chegar em Machu Picchu pela Porta do Sol. Pode-se realizar a trilha completa, caminhando 45 km em 4 dias e fazendo pernoites nos acampamentos com total infra-estrutura, ou fazer a trilha curta em dois dias, com pernoite no alojamento próximo às ruínas de Wina Wayna, chegando à Porta do Sol pela manhã. Outra opção é caminhar 12 km num único dia, chegando em Machu Picchu no final da tarde.

Além da aventura de percorrer o caminho sagrado que levava os incas à cidade de Machu Picchu, a Trilha Inca possui 18 conjuntos arqueológicos constituídos por vivendas, canais de irrigação, terraços de cultivo, muralhas e adoratórios. Durante os 4 dias de caminhada (ou 2 para quem opta pela Trilha Inca Curta), o pernoite é feito em acampamentos e as temperaturas podem cair bastante devido às elevadas altitudes. O povoado mais próximo a Machu Picchu é Águas Calientes, que possui uma pequena infra-estrutura turística. Seu nome se deve à presença de águas termais. 

O Peru ainda possui muitos outros atrativos histórico-culturais e paisagens deslumbrantes, tais como as misteriosas Linhas de Nazca, as tumbas reais de Chiclayo e Chan Chan ao norte do país, o Cânion de Colca (um dos mais profundos do mundo), as comunidades das ilhas feitas de totora, no Lago Titicaca, e até mesmo uma reserva natural na Amazônia peruana. Pensando nisso, a Cia Eco elabora roteiros personalizados, procurando otimizar o tempo que cada um dispõe, selecionar as melhores opções de hospedagem nas diversas categorias, sem tornar a experiência cansativa. E para os mais aventureiros, reservamos ainda viagens para a Cordilheira Blanca com o acompanhamento de guias experientes e equipamentos que garantem a segurança e o sucesso das expedições. Consulte-nos!

Confira as principais atrações de Machu Picchu: 

As praças:
 a cidade possui 4 praças em diferentes níveis, interligadas por degraus. A maior delas é a praça central, onde eram desempenhadas cerimônilas religiosas e sociais. 

Cemitério Superior e Pedra Ritual:
 o cemitério localiza-se em zona periférica, assim como em todas as cidades incas. Contém pedras que indicam oferendas e uma rocha com furo em forma de argola, onde provavelmente se realizavam rituais. 

Intiwatana: em Quéchua, Intiwatana significa observatório do Ano Solar, por isso acredita-se que devia ter a função de medir o tempo, além de ser um altar. Localiza-se em uma colina com diversos terraços, ao final de 78 degraus.

Grupo da Rocha Sagrada:
 situada em um espaço quadrangular entre duas habitações de 3 muros, a Rocha Sagrada caracteriza-se por apresentar uma peça monolítica de 3m de altura. Provavelmente, era um local de ritual. 

Porta do Sol:
 é a entrada na Cidade Perdida dos Incas, após o término da famosa"Trilha Inca". De lá, a vista de Machu Picchu é espetacular e o sentimento de ingressar na cidade dessa forma, único. Para aqueles que chegam de trem e ônibus diretamente, vale caminhar 40 minutos até a Porta do Sol para apreciar a linda vista.

Posto de vigilância:
 localizado antes da entrada principal, é constituído por um edifício de 3 muros e várias janelas. O posto de vigilância oferece uma visão panorâmica de Machu Picchu, tanto do setor agrícola quanto do urbano.

Templo das Três Janelas: junto com o Templo Principal, o Templo das Três Janelas é a construção mais impressionante da cidade. São enormes poliedros finamente esculpidos e unidos com precisão milimétrica. 

Templo da Lua:
 localizado na parte norte de Machu Picchu, a caverna está localizada sobre o rio Urubamba. A caverna está entre as principais da região, com 12 m de largura e 2,5 m de altura. Na época dos incas, a função dessa caverna era cerimonial.

Templo do Sol: é uma construção semicircular erguida sobre uma rocha maciça com duas janelas, uma de cada lado. Elas foram projetadas para receber os primeiros raios de sol do solstício de inverno - um momento muito festejado pelos incas por representar o início do bom período para os plantios. 

Wayna Picchu:
 significa "jovem montanha". O acesso é feito pela parte norte de Machu Picchu. Após uma hora de subida chega-se ao topo - são 2.720 metros - e tem-se uma recompensa: um visual lá indescritível que vale todo o esforço.

Confira as principais atrações Trilha Inca: 

Ollantaytambo: Vilarejo localizado a 80 km de Cuzco que preserva em suas edificações e costumes, a civilização inca. Esse complexo arqueológico já foi um estratégico centro militar, religioso e agrícola. Atrai visitantes pelo tamanho, estilo e originalidade de seus edifícios. 

Ruínas de Llactapata:
 Estão localizadas no início da Trilha Inca e foram descobertas em 1911 pelo norte-americano Hiram Bingham durante sua expedição pelo Vale do Rio Urubamba e escavações em Machu Picchu. Apesar de não ter tido tempo suficiente para investigá-las, o que seria feito 70 anos mais tarde, Bingham descreveu o local como sendo as ruínas de um castelo Inca. 

Wayllabamba:
 Povoado localizado a cerca de 3.000 metros de altitude. A partir de Wayllabamba, inicia-se o trecho de subida mais íngrime da Trilha Inca.

Primeiro Passo: Ponto culminante de todo o percurso da trilha Inca, a 4.200 metros de altitude. 

Vale do Rio Pacamayo:
 Local ideal para acampamentos. Apresenta vegetação típica com cactus e arbustos. 

Ruínas de Runkurakay:
 Localizadas a 3.900 metros de altitude. Apresenta vista espetacular das quedas d'águas do Nevado Palcay e do caminho percorrido no dia anterior. 

Ruínas de Sayaqmarka:
 Seu nome significa "cidade inacessível". São as mais imponentes ruínas da Trilha Inca, com localização privilegiada e vista para vale do Rio Aobamba. Apresenta construções feitas com certa complexidade por terem sido adaptadas à forma da montanha, incluindo um aqueduto de pedra abastecia o local. 

Chaquicocha: Local onde é realizado o 3º acampamento da Trilha Inca. 

Phuyupatamarca:
 Localizada a 3.580 metros de altitude, é chamada de "a cidade sobre as nuvens". Este complexo arquitetônico é composto de plataformas e locais de banho que serviam para cerimônias religiosas e se apresentam em perfeito estado de conservação. 

Wiñayhuayna:
 Localizado a 2.650 metros de altitude. É um impressionante complexo destinado ao cultivo de espécies vegetais, onde existem 17 fontes de água. É formado por três setores, o primeiro com terras destinadas à agricultura, outro com fins cerimoniais, e o último, que servia como moradia. 

Wayna Picchu:
 Seu nome significa "montanha jovem" em Quechua. É uma montanha em formato piramidal que alcança 2720m e é 360m mais alta que Machu Picchu. Abriga inúmeros complexos arqueológicos. De acordo com os guias locais, o topo da montanha era residência da maior autoridade religiosa da época, que caminhava todas as manhãs até Machu Picchu sinalizando que um novo dia estava começando. 

Confira as principais atrações de Cusco:

Anfiteatro Moray: está localizado a 7 km de Maras. É famoso pelo anfiteatro afundado, formado por quatro degraus em forma circular que parecem desaparecer no interior da savana, como se fossem uma cratera artificial. O local constituía um centro de pesquisas incaico sobre agricultura, dedicado a experimentação dos cultivos quanto aos diferentes níveis de altitude de suas parcelas. As terraças ou degraus construídos sobre muros de contenção eram replenados com terra fértil e regados mediante complexos sistemas de irrigação, permitindo cultivar mais de 250 espécies de vegetais.

Bairro de San Blás: conhecido como o bairro dos artesãos, é um dos lugares mais pitorescos da cidade. Com ruas estreitas, entre velhos casarões levantados com muros de pedra incaicos e suas tranqüilas pracinhas. Com uma Igreja construída em 1563, a mais antiga paróquia de Cusco. É um bairro que possui uma das mais belas vistas da cidade, reúne as oficinas e lojas dos mais destacados artesãos cusquenhos, como Hilário Mendiviol e Ediberto Mérida, Santiago Rojas e Maximiliana Palomino. 

Chinchero:
 localizada a 28 km de Cusco na estrada asfaltada para Urubamba. A maior atração é a feira dominical, originalmente dedicada à troca de produtos entre os campesinos do vale e os das partes elevadas. Atualmente, o mercado é um verdadeiro espetáculo de cor e movimento, o que fascina o turista com a oferta do artesanato e artigos de tecelagem elaborados com muito estilo. 

Complexo de Tipón: um conjunto de terraças para a agricultura, longos degraus e canais esculpidos na pedra, está localizado a uns 20 km ao sul da cidade. Tipón fazia parte da estância real do Inca Yahuar Huaca, sendo um lugar dedicado ao culto religioso e à experimentação agrícola, com destaque para condução de água através de finas estruturas de pedra em forma de aquedutos, alguns deles subterrâneos, ou de quedas e correntes d´água.

Fortaleza de Sacsayhuamán: imponente demonstração da arquitetura militar incaica, esta fortaleza foi construída com grandes blocos de granito e dedicada ao resguardo da cidade de Cuzco dos ataques dos invasores do oriente. É formada por três grandes terraços superpostos em forma de ziguezague, e circundada por enormes muralhas de rocha. É o principal cenário da Festa do Sol ou Inti Raymi, celebrado todos os anos no dia 24 de junho. 

Igreja Catedral: uma das edificações mais impressionantes da cidade, com blocos de granito vermelho extraídos da fortaleza inca de Sacsayhuamán. A sua fachada de estilo renascentista, contrasta com o interior de estilo barroco e plateresco(estilo artístico ornamental que surgiu na Espanha durante o Renascimento). Possui uma das mais importantes exibições de ourivesaria da arte colonial, altares esculpidos em madeira e uma bela coleção de pinturas da depurada Escola Cusquenha.

Igreja da Compañia: um os melhores expoentes do barroco colonial na América, a sua construção iniciada pelos jesuítas em 1576.Destacam-se a deslumbrante fachada de pedra entalhada e seu altar-mor, entalhado em cedro coberto de madeira trabalhada com lâminas de ouro, construído sobre uma extensa coleção de esculturas e pinturas, realizadas pelos melhores artistas da Escola Cusquenha. 

Igreja e Convento de La Merced:
 possui um dos mais belos claustros barroco-renascentistas do Peru, decorado com um belo cadeirado de estilo plateresco, numerosos entalhados e pinturas coloniais e uma peça da ourivesaria. É uma custódia de ouro e pedras preciosas, considerada a segunda maior do mundo. 

Inti Raymi ou Festa do Sol: todo dia 24 de junho acontece a festa mais importante do Peru, que mobiliza milhares de pessoas. Relembrando as antigas tradições incaicas, a festa tenta repetir o cerimonial que os incas realizavam durante o solstício de inverno para chamar o sol para mais perto da Terra e garantir suas colheitas. O cenário da grande festa são as ruínas de Qorikancha, Saqsahuaman e a Plaza de Haukaypata. Centenas de pessoas usam vestes coloridas e representam personagens, acompanhados de muita música. 

Koricancha e Convento de Santo Domingo:
 o convento foi construído sobre os alicerces do espetacular Koricancha ou “Lugar de Ouro”, o mais importante templo dedicado ao culto do Sol, cujos muros estavam recobertos por laminas de ouro.Sua portada é uma excelente amostra do renascimento com sua única torre de estilo barroco que destaca-se sobre os tetos de telhas da cidade. Possui coleção de pinturas da Escola Cusquenha.  

Machu Picchu: sem dúvida, o mais importante dos atrativos turísticos de Cuzco. A viagem de trem desde Cuzco leva 3 horas e, além do trem de turismo, existe a opção do helicóptero (30 min) ou a pé (4 dias pela Trilha Inca). É considerada uma das mais extraordinárias demonstrações da arquitetura paisagística do mundo.Encravada no alto de uma montanha que domina o profundo cânion do rio Urubamba em plena selva tropical. Consta de duas grandes áreas: uma agrícola, formada principalmente pelos terraços para agricultura e espaços para armazenagem de alimentos, e outra urbana, na qual se destaca a zona sagrada com templos, pralas e mausoléus reais trabalhados com um excelente nível de perfeição. Em frente a Machu Picchu, se ergue a montanha Huayana Picchu, ao qual se tem acesso por um empinado caminho de pedra. 

Pisac: localizada a 33 km de Cusco por estrada asfaltada, possui um povoado antigo, um sítio arqueológico considerado um dos mais importantes do Cuzco, e um povoado moderno, de origem colonial. Aos domingos acontece uma feira que atrai milhares de visitantes e indígenas, vindos de distantes casarios, com seus trajes coloridos típicos da região. Nesse dia também surgem os Varayocs ou prefeitos indígenas, que as 9h30 se apresentam na igreja para assistir à tradicional missa em quéchua.

Praça de Armas o Praça Matriz: foi cenário de diversos acontecimentos chaves na história do Cuzco, era celebrada o espetáculo Inti Raymi ou Festa do Sol. Com a chegada dos espanhóis, a praça foi rodeada com belos arcos de pedra que a embelezam até hoje.  

Rua Hatun Rumiyoc: a rua mais conhecida da cidade com seus muros de pedra lavrada que  pertencem ao Palácio Arcebispal. Ali se encontra a famosa pedra dos doze ângulos, a mesma que formava parte do antigo palácio de Inca Roca. Esta rua, carregada de magnetismo, proporciona um excelente acesso ao pitoresco bairro de artesãos de San Blás. 

Ruínas de Kenko e Puca Pucara: Kenko é um centro ritual, com galerias subterrâneas e um anfiteatro semicircular. Puca Pucara é uma contrução militar formada por degraus, terraços e grandes muros, parte do sistema de defesa da capital do Império. Ambos fazem parte do circuito arqueológico junto a cidade de Cuzco.

Salinas de Maras: é um pequeno povoado situado a 40 km de Cuzco. Chega-se até o local através de um desvio na estrada que conduz à Urubamba. Além de sua igreja colonial, um atrativo singular são as minas de sal ou salinas próximas ao povoado, que atraem muitos observadores, sobretudo fotógrafos. O espetáculo luminoso que proporcionam os tanques durante os meses de verão na serra (abril a outubro) é  incomparável. 

Rafting no Rio Urubamba: no extenso Vale do Urubamba pode-se realizar o emocionante rafting. O percurso entre montanhas nevadas varia de intensidade. No inverno, com as águas mais calmas, o nível é II e III. Já no verão, o grau de dicifuldade aumenta e pode chegar a IV ou V, de acordo com o nível das chuvas e degelo. É um local propício também para a prática de outros esportes de aventura.

Vale Sagrado dos Incas:
 no Vale do Urubamba localizam-se com as ruínas incaicas, as fortalezas incaicas, além de ser um lugar propício para a prática de esportes de aventura como mountain bike, caminhadas, alpinismo e rafting no Rio Urubamba. 

Caminho ou Trilha Inca à cidade perdida dos Incas - Machu Picchu:
 um dos roteiros mais famosos de trekking do Peru. Durante quatro dias de percurso, o caminhante atravessa por diferentes níveis de altura e diferentes ecossistemas compreendidos entre os 2.800 e 4.000 metros acima do nível do mar. Além disso, pode-se desfrutar de uma linda vista das montanhas nevadas da região.

Cia Eco - Agência de Viagens e Turismo
Rua Sena Madureira, 515 - Vila Mariana 
São Paulo/SP - CEP 04021-051
Fone: 55 11 5571.2525 | E-mail: comercial@ciaeco.tur.br
Cadastur: 26.010039.10.0001-7